Um site a serviço do Estado - Ano VII - Campo Grande - Mato Grosso do Sul
Canais: 
Busca rápida
Cadernos
CAPA
CLÍNICAS MÉDICAS
COMPRAS - PEDRO JUAN - PARAGUAY
ARTIGOS
SAIBA AONDE SABOREAR AS DELÍCIAS DA CAPITAL
POLÍTICA
CONSTRUÇÃO CIVIL NA CAPITAL
NOTÍCIAS/INTERNET/TEC
MUNDO
TELEFONES ÚTEIS
HISTÓRIA DA PIZZA
GUIA DO COMÉRCIO DE CAMPO GRANDE
BRASIL
NOTICIAS
POLICIA
FALE CONOSCO
MENSALÃO
ESPORTE NEWS
MOMENTO DE REFLEXÃO
SALMO 23 - 25
NOTA ZERO
NOTA 10
SAÚDE
GUIA DO COMÉRCIO DE CAMPO GRANDE
RIO DE JANEIRO
HOTELARIA
JUSTIÇA
ECONOMIA
HORA DO RISO/PIADAS
TRAGÉDIA
FISCALIZAÇÃO PMR
EDUCAÇÃO
OPERAÇÃO LAVA JATO
OPERAÇÃO NOTA ZERO
LAMA ASFÁLTICA
GAECO
SEGURANÇA PÚBLICA
POLÍCIA FEDERAL
OPERAÇÃO RIQUIXÁ
GGIFRON
Publicidade
Publicações
14/05/2019 10:19
Processo de recuperação gradual da economia foi interrompido, diz BC
Economia

Agência Brasil
Por Kelly Oliveira – Repórter da Agência Brasil  Brasília

Brasília - Edifício-sede do Banco Central do Brasil (Wilson Dias/Agência Brasil)
Foto: Wilson Dias/Agência Brasil

O processo de recuperação gradual da atividade econômica sofreu interrupção no período recente, mas a expectativa é de retomada adiante. Essa é a conclusão do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC), que decidiu na última quarta-feira (8) manter a taxa básica de juros, a Selic, em 6,5% ao ano.

Segundo ata da reunião do Copom, o arrefecimento da atividade observado no final de 2018 teve continuidade no início de 2019. “Em particular, os indicadores disponíveis sugerem probabilidade relevante de que o Produto Interno Bruto (PIB) tenha recuado ligeiramente no primeiro trimestre do ano, na comparação com o trimestre anterior, após considerados os padrões sazonais”, diz o documento.

O Copom acrescenta que os indicadores do primeiro trimestre induziram revisões substantivas nas projeções de instituições financeiras para o crescimento do PIB em 2019. “Essas revisões refletem um primeiro trimestre aquém do esperado, com implicações para o “carregamento estatístico” [herança do que ocorreu no ano anterior], mas também embutem alguma redução do ritmo de crescimento previsto para os próximos trimestres”, destacou.

Nesse cenário, o Copom avaliou que seria necessário manter a Selic em 6,5% ao ano.

“O comitê julga importante observar o comportamento da economia brasileira ao longo do tempo, livre dos efeitos remanescentes dos diversos choques a que foi submetida no ano passado e, em especial, com redução do grau de incerteza a que a economia brasileira continua exposta”, diz a ata. O Copom acrescentou que essa avaliação sobre o desempenho da economia demanda tempo e não deverá ser concluída a curto prazo. “O comitê ressalta que os próximos passos da política monetária [definição da taxa Selic] continuarão dependendo da evolução da atividade econômica, do balanço de riscos e das projeções e expectativas de inflação”, afirmou.

Inflação

Na ata, o Copom destaca ainda que a inflação acumulada em 12 meses deve atingir um pico no curto prazo para, em seguida, recuar e encerrar 2019 em torno da meta. Para 2019, a meta de inflação é de 4,25%, com margem de tolerância de 1,5 ponto percentual. O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo, portanto, não poderá superar 5,75% neste ano nem ficar abaixo de 2,75%. A meta para 2020 foi fixada em 4%, também com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual.

O comitê ressalta, entretanto, que “a consolidação desse cenário favorável, com inflação nas metas no médio e longo prazos, depende do andamento das reformas e ajustes necessários na economia brasileira, que são fundamentais para a manutenção do ambiente com expectativas de inflação ancoradas”.

O Copom fez projeções para a inflação de acordo com dois cenários. Na hipótese de a Selic terminar 2019 em 6,5% ao ano e ser elevada a 7,5% ao ano em 2020, com taxa de câmbio que termina 2019 em R$ 3,75 e 2020 em R$ 3,80, a inflação fica em torno de 4,1% para neste ano e 3,8% para 2020. Nesse cenário, as projeções para a inflação de preços administrados (controlados pelo governo, como gás, energia e gasolina) são de 5,3% para 2019 e 5% para 2020.

No cenário com taxas contantes - Selic em 6,50% ao ano e de câmbio em R$ 3,95 -, as projeções para a inflação do Copom ficam em torno de 4,3% para 2019 e 4% para 2020. A estimativa para a inflação de preços administrados são de 5,6% para 2019 e 5,1% para 2020.

Taxa Selic

A taxa básica de juros é usada nas negociações de títulos públicos no Sistema Especial de Liquidação e Custódia (Selic) e serve de referência para as demais taxas de juros da economia. Ao reajustá-la para cima, o Banco Central segura o excesso de demanda que pressiona os preços, porque juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança. Ao reduzir os juros básicos, o Copom barateia o crédito e incentiva a produção e o consumo, mas enfraquece o controle da inflação. Para cortar a Selic, a autoridade monetária precisa estar segura de que os preços estão sob controle e não correm risco de subir. Quando mantém o juros básicos, o comitê considera que alterações anteriores na taxa foram suficientes para alcançar a meta de inflação.

Edição: Valéria Aguiar

Veja também:
Dólar tem "respiro" nesta 3ª, mas sobe mais de 6% em agosto com incertezas externas
MP que muda Coaf para o Banco Central é publicada no Diário Oficial
Dólar fechou abaixo de R$ 4; bolsa cai para menos de 100 mil pontos
Longen prevê criação de mais empregos com aprovação da MP da Liberdade Econômica
Governo promove leilão de três áreas portuárias nesta terça-feira
Pesquisa indica que 87% das pessoas acham conta de luz cara no país
Disputa comercial entre EUA e China respinga nos mercados de câmbio
Estados Unidos acusam a China de manipular moeda
Banco Central indica novo corte na taxa Selic
Nova moeda Libra respeitará regras de cada país, diz diretor da PayPal
Índice que mede confiança dos empresários sobe 0,9 ponto em julho
Taxa básica de juros será definida nesta semana
Dólar opera em baixa nesta quarta-feira, cotado a R$ 3,76
Governo estuda venda fracionada de gás de cozinha
Vai fazer compras? Dólar opera em alta nesta sexta-feira, chegando a R$ 3,73
Abono do PIS/Pasep começa a ser pago na próxima quinta-feira
China impulsiona emissão de títulos de governos locais a US$104 bi em junho para estimular economia
Consumidor poderá bloquear ligação de telemarketing a partir desta terça
Custo de habitação sobe mais que o dobro da inflação oficial nos 25 anos de Plano Real
Dólar opera em queda, abaixo de R$ 3,75, após aprovação de texto-base da reforma da Previdência
China diz que disputa comercial com EUA pode ser resolvida através de respeito mútuo
Cotação do dólar abre quinta em queda após aprovação de reforma
Carga tributária é empecilho para 39,23% dos pequenos e médios empresários
Inflação da construção civil é de 0,35% em junho
MS fecha mês de maio com saldo de 1.097 novas vagas com destaque para Serviços e Indústria
Guedes fala em redução de até 50% no preço do botijão de gás
Dólar fecha em R$ 3,82 e registra a menor cotação em três meses
Bolsa fecha pela primeira vez acima dos 100 mil pontos
Produtividade do trabalho no país recua 1,1% no primeiro trimestre
Indústria de calçados emprega 1,7 mil pessoas em MS, diz Fiems
Exportações da China crescem apesar de tarifas dos EUA, mas importações têm maior queda em 3 anos
Crescimento do PIB depende de reformas e não de truques, diz Guedes
CVM multa Eike Batista em R$ 536,5 milhões
Para Longen, destinação de 30% do FCO para obras estaduais prejudica setor industrial
Tempo de estudo de trabalhadores formais cresce 20% de 2003 a 2017
Dólar tem maior queda diária em quatro meses e fecha a R$ 4,04
Após bater 100 mil pontos, Bolsa desaba 10% e retoma níveis de 2018
Dólar supera R$ 4 e fecha no maior valor em oito meses
Transações bancárias feitas por celular aumentam 24%, diz Febraban
Produção industrial brasileira cai 1,3% de fevereiro para março
Brasil inicia exportação de carne de frango in natura para Índia
Receita já recebeu 23,9 milhões de declarações de Imposto de Renda
Carne brasileira pode ampliar espaço no mercado chinês, diz ministra
Bolsa fecha com queda de 1,98%; dólar tem alta de 0,83%
Teresa Cristina quer aumentar parcerias com países árabes
Aneel autoriza aumento nas contas de luz para MT, MS e interior de SP
Produção de aço sobe 2,3% em janeiro, mas a de laminados cai 3,1%
Minério de ferro tem 1ª perda semanal do ano na China
Pesquisa Google
Pesquisa Google
Previsão do tempo
Publicidade
<
Copyright 2006 - 2019 JDCNotíciasMS. Todos os direitos reservados. Permitida a reprodução desde que citada a fonte.