Um site a serviço do Estado - Ano VII - Campo Grande - Mato Grosso do Sul
Canais: 
Busca rápida
Cadernos
CAPA
CLÍNICAS MÉDICAS
COMPRAS - PEDRO JUAN - PARAGUAY
ARTIGOS
SAIBA AONDE SABOREAR AS DELÍCIAS DA CAPITAL
POLÍTICA
CONSTRUÇÃO CIVIL NA CAPITAL
NOTÍCIAS/INTERNET/TEC
MUNDO
TELEFONES ÚTEIS
HISTÓRIA DA PIZZA
GUIA DO COMÉRCIO DE CAMPO GRANDE
BRASIL
NOTICIAS
POLICIA
FALE CONOSCO
MENSALÃO
ESPORTE NEWS
MOMENTO DE REFLEXÃO
SALMO 23 - 25
NOTA ZERO
NOTA 10
SAÚDE
GUIA DO COMÉRCIO DE CAMPO GRANDE
RIO DE JANEIRO
HOTELARIA
JUSTIÇA
ECONOMIA
HORA DO RISO/PIADAS
TRAGÉDIA
FISCALIZAÇÃO PMR
EDUCAÇÃO
OPERAÇÃO LAVA JATO
OPERAÇÃO NOTA ZERO
LAMA ASFÁLTICA
GAECO
SEGURANÇA PÚBLICA
POLÍCIA FEDERAL
OPERAÇÃO RIQUIXÁ
GGIFRON
Publicidade
Publicações
29/05/2019 10:28
Senado aprova MP da reforma administrativa; texto segue para sanção
Política

Agência Brasil
Por Marcelo Brandão - Repórter da Agência Brasil  Brasília

Plenário do Senado aprova MP que autoriza a participação de até 100% de capital estrangeiro em companhias aéreas brasileiras..
Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil 
 
Número de ministérios é reduzido, mas Coaf vai para pasta da Economia

O Senado aprovou na noite de ontem (28) a Medida Provisória (MP) 870, que trata da reforma administrativa, sem alterações em comparação com o texto aprovado na Câmara. O texto-base foi aprovado com 70 votos a favor, 4 votos contrários e uma abstenção. Com isso, o governo federal conseguiu aprovar, quase em sua totalidade, as alterações feitas na estrutura do governo quando o presidente Jair Bolsonaro tomou posse.

O texto segue para sanção presidencial. Com a aprovação da MP, algumas alterações realizadas na Comissão Especial do Congresso foram confirmadas. Dentre elas, o Coaf fica subordinado ao Ministério da Economia, a Fundação Nacional do Índio (Funai) volta para a pasta da Justiça. Em relação ao Serviço Florestal Brasileiro (SFB), o Congresso atendeu o texto presidencial e o deixou no Ministério da Agricultura.

Dentre as propostas do governo preservadas pelos parlamentares, está a redução de ministérios, de 29 para 22. Essa redução criou o Ministério da Economia, em substituição aos ministérios da Fazenda; Planejamento e Indústria, Comércio Exterior e Serviços. Também criou o Ministério da Cidadania, reunindo as pastas do Desenvolvimento Social, Cultura e Esporte; e extinguiu o Ministério do Trabalho, dividindo suas competências entre vários ministérios.

Ouça a reportagem da Rádio Nacional: Senado aprova MP que reestrutura ministérios; texto segue para sanção

Votação

A votação do texto-base foi rápida, mas foi marcada por uma manobra regimental. O líder do governo no Senado, Fernando Bezerra (MDB-PE), relator da MP no Congresso, pediu verificação nominal para a votação do texto-base, onde não havia polêmicas. A verificação, no entanto, só poderia ser feita uma fez no período de uma hora. Isso, na prática, impediu a verificação nominal para os destaques que alteravam o destino do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) e o mantiveram no Ministério da Justiça.

Os destaques foram rejeitados em votação simbólica. Ao perceber o protesto dos senadores favoráveis aos destaques, que foram impedidos de fazer a votação nominal, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), fez uma contagem informal. Segundo suas contas 30 senadores votaram pela aprovação dos destaques e, consequentemente, foram derrotados. Em seguida, ele encerrou a sessão.

A aprovação ocorreu a sete dias do vencimento do prazo da MP. Caso não fosse votada até o dia 3 de junho, a medida provisória perderia a sua validade. Na avaliação de alguns senadores, uma derrota na noite de hoje representaria um sinal muito negativo para o governo. “Seria a maior vergonha para o governo não aprovar. Se não aprova isso, não aprova nada”, disse Simone Tebet (MDB-MS).

O senador Lasier Martins (Pode-RS) disse a jornalistas após a reunião de líderes ocorrida antes da sessão que votou a MP, que a carta escrita pelo presidente da República foi determinante para o resultado. Segundo o senador, o pedido formal de Bolsonaro influenciou a decisão de alguns senadores de mudar o voto em favor do pedido do governo. Além disso, acrescentou Martins, a subscrição de Sergio Moro à carta “fez muita gente mudar de posição”.

Resultado no Senado da votação do Projeto de Lei de Conversão 10/2019 que reorganiza órgãos da Presidência da República e ministérios.
Resultado no Senado da votação do Projeto de Lei de Conversão 10/2019 que reorganiza órgãos da Presidência da República e ministérios - TV Senado
Debates
A sessão durou quase quatro horas, sendo que a grande maioria desse tempo foi reservado aos debates sobre o tema. Alcolumbre abriu a Ordem do Dia lendo a carta do presidente da República, Jair Bolsonaro, pedindo aos senadores a aprovação da MP 870. Em seguida, ele se uniu a Bolsonaro no pedido de aprovação da MP como veio da Câmara.

“Vários senadores e senadoras têm, e têm todo direito, de terem suas convicções pessoais. Mas diante de um apelo de sua excelência o presidente da República [...] eu novamente conclamo aos senadores para que o Senado Federal possa dar ao presidente da República o que ele pediu no dia de hoje”, disse Alcolumbre.

A polêmica se concentrava no destino do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf). Sob o argumento de fortalecer o órgão, o texto original da MP enviado pelo governo transferia o Coaf do Ministério da Economia para a pasta da Justiça. Durante a tramitação na Câmara, no entanto, os deputados decidiram que o órgão deve ficar sob o controle do ministro Paulo Guedes, na Economia.

Vários senadores pediram a palavra e as opiniões foram divididas. Major Olímpio líder do PSL no Senado, chegou a dizer que desistir de manter o Coaf no Ministério da Justiça seria dar um “tiro no pé” do governo. Mas, após encontro com Bolsonaro no início da tarde de hoje, Olímpio decidiu recuar.

“[Votar pela manutenção do Coaf no Ministério da Justiça] era meu desejo pessoal e da esmagadora maioria da população, mas o próprio ministro Sergio Moro já disse que, em nome de algo maior, que é a consolidação da estrutura administrativa do Estado brasileiro, ele está pedindo que não seja a questão do Coaf algo a impedir a consolidação da estrutura administrativa do governo”.

Senadores contrários à MP como chegou na Casa diziam que a vontade da população expressa nas ruas, nas manifestações do último domingo (26), não estava sendo respeitada. Para eles, a manutenção do Coaf no Ministério da Justiça era um pleito popular claramente expresso nas ruas, em manifestações compostas por apoiadores do presidente Jair Bolsonaro.

Eduardo Girão (Pode-CE) e Flávio Arns (Rede-PR) citaram o abaixo-assinado entregue pelo movimento popular Mude. Foram 300 mil assinaturas pedindo a manutenção do Coaf na pasta de Sergio Moro. “Eu, junto com outros colegas, recebi essa pilha [de assinaturas] do Mude, que representa o desejo de 300 mil brasileiros que o Coaf vá para o Ministério da Justiça. A gente não pode ignorar isso”.

*Matéria corrigida às 16h40 do dia 29/05.

Diferentemente do informado, o Serviço Florestal Brasileiro não ficará sob responsabilidade do Ministério do Meio Ambiente. O SFB permance no Ministério da Agricultura

Edição: Fábio Massalli

Veja também:
Governo vai pavimentar rodovia que liga Norte do MS ao Pantanal e Bonito
Delcídio diz que não terminou missão e quer ser governador
Em visita a Ponta Porã, André Puccinelli lança o advogado Luiz Renê como pré candidato a prefeito
Após sair do PL, Délia se filia ao PTB em ato neste sábado na Capital
Reinaldo Azambuja cumpre nova rodada de reuniões com prefeitos da região Norte
Governo do Estado assina R$ 119 milhões em obras para saneamento em 16 municípios de Mato Grosso do Sul
Senado questionará ação da PF em gabinete de líder do governo
Mato Grosso do Sul recebe apoio para combate a incêndios
Alvo de buscas, líder de Bolsonaro no Senado deixa cargo à disposição
Governo Presente: inicia hoje atendimento aos prefeitos da região Norte
CCJ da Câmara aprova condução coercitiva de intimados por CPI
Alcides Martins assume PGR e anuncia retorno de membros da Lava Jato
Deputados votam hoje projeto do governo que pretende cassar aposentadoria
Senado faz última sessão de discussão da PEC da Previdência
Alcolumbre defende aprovação do PL do Fundo Partidário no Senado
Projeto que amplia posse de arma no campo é sancionado
Bolsonaro diz que sancionará projeto que amplia posse de arma no campo
Em 8 meses, deputados gastaram R$ 1,3 milhão em menu com vinho e camarões
Termina hoje prazo para apresentar emendas de mérito à Previdência
Bolsonaro fala sobre julgamento envolvendo autor de facada
Bolsonaro receberá alta à tarde e retorna a Brasília ainda hoje
Dinheiro Público: Deputado de MS diz que vai devolver dinheiro usado com bebida alcóolica
Três deputados de MS querem investigar Moro e Dallagnol
Bolsonaro continua com dieta cremosa, diz boletim médico
Izauri destaca apoio do Governo do Estado para a pavimentação e drenagem do Distrito Industrial de Navirai
Bolsonaro retira sonda nasogástrica e recomeça dieta líquida
Ministro Marcos Pontes é internado em Brasília
Governador veta proposta de alterar nome de policiais aposentados para veteranos
Augusto Aras participa de reunião de líderes do Senado
Projeto apoiado por Eduardo Bolsonaro 'libera' canabidiol
Senado terá semana de negociações para votar reforma da Previdência
Veja a repercussão da indicação de Augusto Aras para a PGR
Senado aguarda posição do governo para avançar com reforma tributária
Puccinelli faz passagem relâmpago pela Câmara
Advocacia do Senado emite parecer favorável a Eduardo Bolsonaro
No Senado, começa reunião da CCJ para discutir e votar Previdência
TRF-4 derruba liminar e Marun voltará ao Conselho de Itaipu
Por ordem do STJ, Federal ouve mais de 110 em ofensiva para ‘acelerar’ Operação Vostok em MS
Maia é contra rever estabilidade de servidores públicos
Governo de MS apoia ação de Brasil e Paraguai em vacinação contra sarampo e febre amarela na fronteira
Alcolumbre quer concluir apreciação da PEC Paralela até novembro
Fachin envia ao plenário discussão sobre alegações finais na Lava Jato
Fachin manda ação penal de Lula voltar para fase de alegações
Lei: comércios devem fixar tabelas com taxas de juros em vendas a prazo e no crédito
Governo quer autonomia para gerir doações para Amazônia
Relatório da Previdência suprime BPC e aposentadorias especiais
Para deputados, impasse entre Brasil e Europa não afeta agronegócio de MS
Se inserir ICMS, reforma tributária fica mais 20 anos, diz senadora
MP vai investigar queimadas criminosas na Amazônia, diz Dodge
Meu projeto é fazer cidadão ter orgulho da cidade, diz Trad
Simone Tebet: MDB será chamado novamente a fazer parte da história
Reinaldo Azambuja participa de desfile cívico-militar e da Marcha para Jesus nesta segunda-feira
Israel enviará avião para ajudar no combate aos incêndios na Amazônia
Posicionamento externo sobre queimadas pode afetar exportações em MS, diz Rose
Em quatro meses, Hospital Regional de Ponta Porã realiza mais de 77 mil procedimentos
Governo de MS é o único com stand institucional no Salão Internacional da Avicultura e Suinocultura, em SP
Previdência: Jereissati entrega relatório da reforma na próxima semana
Reinaldo Azambuja recebe homenagem e destaca importância do Poder Legislativo
Câmara aprova projeto que amplia posse de arma em propriedade rural
Simone Tebet assina pedido de veto integral à Lei de Abuso de Autoridade
Senado aprova MP da Liberdade Econômica
Reinaldo Azambuja quer pressa no acordo aduaneiro para o Corredor Bioceânico
TCE-MS manda ex-prefeito e gestores devolverem meio milhão por irregularidades
Pagamentos de R$ 427 mil a vereadores por diárias e sessões terão que ser devolvidos
Delcídio se filia ao PTB como aposta de Roberto Jefferson no Estado
Senado adia votação da reforma da Previdência em uma semana
Operação Lava Jato só existe graças ao STF, diz Dias Toffoli
MPF quer barrar indicação de Eduardo para embaixada dos EUA
CCJ do Senado começa a discutir reforma da Previdência esta semana
Partidos apostam em ex-presidenciáveis para discutir eleição na Capital
Antes de sair de férias, governador acerta compra de medicamentos e encaminha investimentos chineses
Governadores apoiam nova previdência para estados e municípios
Economia está dando sinais de recuperação, diz Bolsonaro a empresários
Presidente do TJMS recebe visita do Comandante-Geral da PM
Crise em Itaipu não deve refletir em novas pontes
Bolsonaro diz que ministério prepara projeto para legalizar garimpos
Empréstimo para Mato Grosso do Sul deve ser agilizado
Reinaldo Azambuja começa mês percorrendo interior, levando investimentos e novas obras
Reinaldo ‘joga’ para Hospital do Câncer responsabilidade por terceirizar radioterapia
Governo muda cúpula de comissão sobre mortos e desaparecidos políticos
Pesquisa Google
Pesquisa Google
Previsão do tempo
Publicidade
<
Copyright 2006 - 2019 JDCNotíciasMS. Todos os direitos reservados. Permitida a reprodução desde que citada a fonte.