Um site a serviço do Estado - Ano VII - Campo Grande - Mato Grosso do Sul
Canais: 
Busca rápida
Cadernos
CAPA
CLÍNICAS MÉDICAS
COMPRAS - PEDRO JUAN - PARAGUAY
ARTIGOS
SAIBA AONDE SABOREAR AS DELÍCIAS DA CAPITAL
POLÍTICA
CONSTRUÇÃO CIVIL NA CAPITAL
NOTÍCIAS/INTERNET/TEC
MUNDO
TELEFONES ÚTEIS
HISTÓRIA DA PIZZA
GUIA DO COMÉRCIO DE CAMPO GRANDE
BRASIL
NOTICIAS
POLICIA
FALE CONOSCO
MENSALÃO
ESPORTE NEWS
MOMENTO DE REFLEXÃO
SALMO 23 - 25
NOTA ZERO
NOTA 10
SAÚDE
GUIA DO COMÉRCIO DE CAMPO GRANDE
RIO DE JANEIRO
HOTELARIA
JUSTIÇA
ECONOMIA
HORA DO RISO/PIADAS
TRAGÉDIA
FISCALIZAÇÃO PMR
EDUCAÇÃO
OPERAÇÃO LAVA JATO
OPERAÇÃO NOTA ZERO
LAMA ASFÁLTICA
GAECO
SEGURANÇA PÚBLICA
POLÍCIA FEDERAL
OPERAÇÃO RIQUIXÁ
GGIFRON
Publicidade
Publicações
08/09/2019 16:45
Senado terá semana de negociações para votar reforma da Previdência
Política

Agência Brasil
Por Marcelo Brandão - Repórter da Agência Brasil  Brasília

Depois de mais de dois anos de articulações, a reforma da Previdência, finalmente foi analisada e aprovada pelo plenário da Câmara dos Deputados e ganha fôlego no Senado, onde, com um número menor de parlamentares (81 contra 513 na Câmara), a expectativa é de um trâmite mais rápido.

O texto aprovado pelos deputados passou pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado e uma votação, na próxima semana, tem o apoio do presidente da Casa, Davi Alcolumbre. Ele espera firmar os acordos necessários com as lideranças partidárias e de bancadas para acelerar os prazos.

Pelo regimento, o texto precisa passar por cinco sessões de discussão no plenário antes de ser votada em primeiro turno. Mas um acordo entre líderes da base, do centro e da oposição poderia reduzir esse prazo.

Plenário do Senado analisa MP da Liberdade Econômica
Plenário do Senado - Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

“Estamos em processo de diálogo. Eu falei, desde a primeira vez que me perguntaram, que eu ia tentar construir um acordo, falar com os líderes. Então estou tentando convencê-los a votar na semana que vem”, disse Alcolumbre na última quinta-feira (5).

O acordo de líderes a ser tentado por Alcolumbre precisa ter a anuência também da oposição. E, segundo o líder da oposição no Senado, Randolfe Rodrigues (REDE-AP), o acordo para abreviar a votação não será fechado.

“Não aceitamos atalhos em um tema tão sensível aos direitos do povo, em retirar direitos do povo. Não tem acordo com os líderes da oposição para abreviar ritos de procedimentos. Para nós, a proposta de emenda constitucional vai ser votada no tempo que tiver que ser votada, cumprindo todos os prazos regimentais”, disse Randolfe.

Caso o acordo não seja possível, o prazo de cinco sessões de discussão antes da votação deverá ser cumprido. Em todo caso, a votação em segundo turno está marcada para 10 de outubro. O presidente do Senado está otimista quanto à aprovação no próximo mês. “Nosso prazo é ainda o que estabelecemos no acordo, que é de votar em 10 de outubro a PEC número 6 e marcarmos uma sessão para promulgarmos”, disse Alcolumbre.

Para esta terça-feira (10), está marcada uma sessão temática para discutir a Previdência. A sessão será realizada no plenário da Casa do Senado e está prevista a participação secretário especial de Previdência, Rogério Marinho, e do ex-ministro da Previdência Social, Ricardo Berzoini.

PEC Paralela

Durante votação do relatório da reforma, produzido por Tasso Jereissati (PSDB-CE), foram votadas oito sugestões de emendas, apenas uma foi aprovada. A emenda de autoria do senador Eduardo Braga (MDB-AM) estipula que pensionistas não podem receber valor inferior a um salário-mínimo.

As demais emendas foram rejeitadas. Elas previam queda de receita para a União, conforme argumentou o líder do governo no Senado, Fernando Bezerra (MDB-PE). No intuito de atender demandas consideradas meritórias, Jereissati propôs a criação de uma nova proposta de emenda à Constituição, uma espécie de emenda paralela, que traz pontos não incluídos na PEC original. A ideia é, principalmente, não fazer mudanças que obrigassem a proposta original a voltar para a Câmara.

O carro-chefe da PEC paralela é a possibilidade de incluir servidores estaduais e municipais na reforma da previdência. Mas ela também traz outras questões, como o fim das renúncias fiscais para entidades filantrópicas e regras mais brandas de aposentadoria para policiais, bombeiros, agentes prisionais, guardas municipais e outras carreiras ligadas à segurança pública.

Rito

A PEC paralela já existe formalmente e tem número 133/2019, mas precisa ser lida em plenário por Alcolumbre. Em seguida, ela retorna à CCJ, onde foi criada, e ganhará um relator. Jereissati, por estar inteirado de seu teor, fará a relatoria. A partir daí, ele poderá convocar audiências públicas, além de conversar com setores da sociedade.

O senador tucano adiantou que aguardará uma semana pelas sugestões de emendas e também para ouvir e debater com a sociedade em audiências públicas. Em seguida, apresentará seu relatório à presidente da comissão, Simone Tebet (MDB-MS). Após a leitura do parecer, é concedida vista coletiva de, ao menos, por cinco dias úteis. Em seguida, o relatório é votado na comissão.

Independentemente do relatório ser aprovado ou não na CCJ, ele irá para votação no plenário. Nesse caso, o veredito da comissão é apenas um balizador para o plenário. No plenário, a PEC precisa ser aprovada em dois turnos por 3/5 do total de senadores.

A proposta precisa de, pelo menos, 49 votos. Aprovada em dois turnos, ela segue para a Câmara dos Deputados. Lá, também passará pela CCJ da casa – e, nesse caso, a aprovação do relatório é necessária para assegurar o prosseguimento da proposta – e por uma comissão especial antes de ir para votação em plenário.

Edição: Aécio Amado

Veja também:
Reinaldo Azambuja cumpre nova rodada de reuniões com prefeitos da região Norte
Governo do Estado assina R$ 119 milhões em obras para saneamento em 16 municípios de Mato Grosso do Sul
Senado questionará ação da PF em gabinete de líder do governo
Mato Grosso do Sul recebe apoio para combate a incêndios
Alvo de buscas, líder de Bolsonaro no Senado deixa cargo à disposição
Governo Presente: inicia hoje atendimento aos prefeitos da região Norte
CCJ da Câmara aprova condução coercitiva de intimados por CPI
Alcides Martins assume PGR e anuncia retorno de membros da Lava Jato
Deputados votam hoje projeto do governo que pretende cassar aposentadoria
Senado faz última sessão de discussão da PEC da Previdência
Alcolumbre defende aprovação do PL do Fundo Partidário no Senado
Projeto que amplia posse de arma no campo é sancionado
Bolsonaro diz que sancionará projeto que amplia posse de arma no campo
Em 8 meses, deputados gastaram R$ 1,3 milhão em menu com vinho e camarões
Termina hoje prazo para apresentar emendas de mérito à Previdência
Bolsonaro fala sobre julgamento envolvendo autor de facada
Bolsonaro receberá alta à tarde e retorna a Brasília ainda hoje
Dinheiro Público: Deputado de MS diz que vai devolver dinheiro usado com bebida alcóolica
Três deputados de MS querem investigar Moro e Dallagnol
Bolsonaro continua com dieta cremosa, diz boletim médico
Izauri destaca apoio do Governo do Estado para a pavimentação e drenagem do Distrito Industrial de Navirai
Bolsonaro retira sonda nasogástrica e recomeça dieta líquida
Ministro Marcos Pontes é internado em Brasília
Governador veta proposta de alterar nome de policiais aposentados para veteranos
Augusto Aras participa de reunião de líderes do Senado
Projeto apoiado por Eduardo Bolsonaro 'libera' canabidiol
Veja a repercussão da indicação de Augusto Aras para a PGR
Senado aguarda posição do governo para avançar com reforma tributária
Puccinelli faz passagem relâmpago pela Câmara
Advocacia do Senado emite parecer favorável a Eduardo Bolsonaro
No Senado, começa reunião da CCJ para discutir e votar Previdência
TRF-4 derruba liminar e Marun voltará ao Conselho de Itaipu
Por ordem do STJ, Federal ouve mais de 110 em ofensiva para ‘acelerar’ Operação Vostok em MS
Maia é contra rever estabilidade de servidores públicos
Governo de MS apoia ação de Brasil e Paraguai em vacinação contra sarampo e febre amarela na fronteira
Alcolumbre quer concluir apreciação da PEC Paralela até novembro
Fachin envia ao plenário discussão sobre alegações finais na Lava Jato
Fachin manda ação penal de Lula voltar para fase de alegações
Lei: comércios devem fixar tabelas com taxas de juros em vendas a prazo e no crédito
Governo quer autonomia para gerir doações para Amazônia
Relatório da Previdência suprime BPC e aposentadorias especiais
Para deputados, impasse entre Brasil e Europa não afeta agronegócio de MS
Se inserir ICMS, reforma tributária fica mais 20 anos, diz senadora
MP vai investigar queimadas criminosas na Amazônia, diz Dodge
Meu projeto é fazer cidadão ter orgulho da cidade, diz Trad
Simone Tebet: MDB será chamado novamente a fazer parte da história
Reinaldo Azambuja participa de desfile cívico-militar e da Marcha para Jesus nesta segunda-feira
Israel enviará avião para ajudar no combate aos incêndios na Amazônia
Posicionamento externo sobre queimadas pode afetar exportações em MS, diz Rose
Em quatro meses, Hospital Regional de Ponta Porã realiza mais de 77 mil procedimentos
Governo de MS é o único com stand institucional no Salão Internacional da Avicultura e Suinocultura, em SP
Previdência: Jereissati entrega relatório da reforma na próxima semana
Reinaldo Azambuja recebe homenagem e destaca importância do Poder Legislativo
Câmara aprova projeto que amplia posse de arma em propriedade rural
Simone Tebet assina pedido de veto integral à Lei de Abuso de Autoridade
Senado aprova MP da Liberdade Econômica
Reinaldo Azambuja quer pressa no acordo aduaneiro para o Corredor Bioceânico
TCE-MS manda ex-prefeito e gestores devolverem meio milhão por irregularidades
Pagamentos de R$ 427 mil a vereadores por diárias e sessões terão que ser devolvidos
Delcídio se filia ao PTB como aposta de Roberto Jefferson no Estado
Senado adia votação da reforma da Previdência em uma semana
Operação Lava Jato só existe graças ao STF, diz Dias Toffoli
MPF quer barrar indicação de Eduardo para embaixada dos EUA
CCJ do Senado começa a discutir reforma da Previdência esta semana
Partidos apostam em ex-presidenciáveis para discutir eleição na Capital
Antes de sair de férias, governador acerta compra de medicamentos e encaminha investimentos chineses
Governadores apoiam nova previdência para estados e municípios
Economia está dando sinais de recuperação, diz Bolsonaro a empresários
Presidente do TJMS recebe visita do Comandante-Geral da PM
Crise em Itaipu não deve refletir em novas pontes
Bolsonaro diz que ministério prepara projeto para legalizar garimpos
Empréstimo para Mato Grosso do Sul deve ser agilizado
Reinaldo Azambuja começa mês percorrendo interior, levando investimentos e novas obras
Reinaldo ‘joga’ para Hospital do Câncer responsabilidade por terceirizar radioterapia
Governo muda cúpula de comissão sobre mortos e desaparecidos políticos
Não podemos ser “generosos” com estrangeiros criminosos, diz Moro
Recesso chega ao fim e deputados e senadores voltam a Brasília
Em dois dias, Reinaldo Azambuja entrega e lança R$ 64,7 milhões em obras no interior
Bolsonaro quer definição de trabalho escravo na legislação
Bolsonaro diz que militantes de esquerda mataram pai de presidente da OAB
Pesquisa Google
Pesquisa Google
Previsão do tempo
Publicidade
<
Copyright 2006 - 2019 JDCNotíciasMS. Todos os direitos reservados. Permitida a reprodução desde que citada a fonte.