Um site a serviço do Estado - Ano VII - Campo Grande - Mato Grosso do Sul
Canais: 
Busca rápida
Cadernos
CAPA
CLÍNICAS MÉDICAS
COMPRAS - PEDRO JUAN - PARAGUAY
ARTIGOS
SAIBA AONDE SABOREAR AS DELÍCIAS DA CAPITAL
POLÍTICA
CONSTRUÇÃO CIVIL NA CAPITAL
NOTÍCIAS/INTERNET/TEC
MUNDO
TELEFONES ÚTEIS
HISTÓRIA DA PIZZA
GUIA DO COMÉRCIO DE CAMPO GRANDE
BRASIL
NOTICIAS
POLICIA
FALE CONOSCO
MENSALÃO
ESPORTE NEWS
MOMENTO DE REFLEXÃO
SALMO 23 - 25
NOTA ZERO
NOTA 10
SAÚDE
GUIA DO COMÉRCIO DE CAMPO GRANDE
RIO DE JANEIRO
HOTELARIA
JUSTIÇA
ECONOMIA
HORA DO RISO/PIADAS
TRAGÉDIA
FISCALIZAÇÃO PMR
EDUCAÇÃO
OPERAÇÃO LAVA JATO
OPERAÇÃO NOTA ZERO
LAMA ASFÁLTICA
GAECO
SEGURANÇA PÚBLICA
POLÍCIA FEDERAL
OPERAÇÃO RIQUIXÁ
GGIFRON
Publicidade
Publicações
19/09/2019 21:30
Senado questionará ação da PF em gabinete de líder do governo
Política

Agência Brasil
Por Marcelo Brandão – Repórter da Agência Brasil  Brasília

"O Senado vai defender a sua integridade", disse Alcolumbre 

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre, durante sessão deliberativa ordinária.
Crédito: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre, disse que questionará junto ao Supremo Tribunal Federal a ação da Polícia Federal (PF) ocorrida na manhã de hoje (19), na Casa. A PF cumpriu mandados de busca e apreensão no gabinete do líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE). Os policiais também estiveram no gabinete do filho dele, o deputado federal Fernando Bezerra Coelho Filho (DEM-PE). A ação foi autorizada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Roberto Barroso.

“O corpo jurídico do Senado tem várias observações do ponto de vista da legalidade dessa situação. Porque a PGR fez um parecer contrário a essa cautelar e o ministro do Supremo se baseou em um pedido de um delegado da Polícia Federal”, disse Alcolumbre após participar de um evento em Brasília, na tarde desta quinta-feira. Ele acrescentou que Barroso “deve ter seus argumentos”, mas disse que o Senado fará o questionamento, enquanto instituição.

“É a minha decisão, da Mesa e dos senadores. É questionar enquanto instituição. Porque, se nós avaliarmos o papel do Senado Federal nos últimos meses em relação à independência e harmonia entre os Poderes, o Senado demonstrou que quer isso”, acrescentou.

Alcolumbre também ouviu dos advogados do Senado que existe brecha para questionamento porque os fatos investigados ocorreram em um período em que Bezerra sequer era ministro. “Em outro entendimento do STF, ações realizadas em outras instâncias deveriam ficar em outras instâncias. A investigação referente é de 2012 a 2014. Foram no gabinete de uma pessoa que nem senador era, muito menos líder do governo."

Segundo informações da PF, Bezerra e seu filho teriam recebido ao todo R$ 5,538 milhões em vantagens indevidas repassadas por quatro empreiteiras. Os repasses teriam sido solicitados e realizados entre 2012 e 2014, período em que Bezerra chegou a ocupar o cargo de ministro da Integração Nacional, no governo Dilma Rousseff.

Em nota, o ministro Luís Roberto Barroso, relator do processo, disse que a decisão foi “puramente técnica e republicana”. O ministro afirmou que os fatos imputados ao senador e seu filho estão relacionados com o mandato e o caso deve ser julgado pela Corte. “Só faço o que é certo, justo e legítimo”, afirmou Barroso.

Defesa
O advogado Arthur Callegari, que representa o senador, comentou a ação. “Causa estranheza à defesa que medidas cautelares sejam decretadas em razão de fatos pretéritos que não guardam qualquer razão de contemporaneidade com o objeto da investigação. A única justificativa do pedido seria em razão da atuação política e combativa do senador contra determinados interesses dos órgãos de persecução penal”, diz a nota da defesa.

Callegari ressaltou ainda que as medidas de busca e apreensão contra o senador e seu filho tiveram parecer contrário da Procuradoria-Geral da República (PGR), que as considerou desnecessárias, causando “estranheza” que Barroso tenha autorizado as diligências pedidas pela PF, escreveu o advogado.

PGR

Em parecer, a PGR considerou que a autorização da busca e apreensão nos gabinetes e em endereços ligados aos parlamentares seria uma “medida invasiva” e de “pouca utilidade prática”, pois os investigados não teriam o costume de registrar os atos praticados.

Barroso, no entanto, discordou. “Na criminalidade organizada econômica, porém, o natural é que todos os envolvidos tentem ocultar provas e não deixar registros de seus atos. A medida cautelar serve justamente para tentar encontrar documentos mantidos sigilosamente, longe dos olhos do público e das autoridades de investigação”, escreveu o ministro.

MDB

A bancada do MDB no Senado manifestou sua solidariedade a Fernando Bezerra. A nota, assinada pelo líder do partido, Eduardo Braga, afirma que as denúncias devem ser investigadas, mas “é fundamental respeitar os limites de competência legal na condução das investigações”.

Assim como Alcolumbre, a bancada emedebista lembrou da negativa da PGR à ação e o fato das investigações remeterem a uma época anterior ao mandato de Bezerra no Senado. A nota encerra acreditando na inocência do colega.

“No mais, queremos crer que as denúncias contra o líder do governo Fernando Bezerra se mostrem infundadas. O partido acompanha com absoluta atenção os desdobramentos da ação de hoje e reitera o apoio para que seja dado ao senador condições para sua mais ampla defesa, como é imperioso numa democracia”

Matéria ampliada às 19h58 para inclusão do posicionamento do MDB e às 20h52 para inclusão de nota do ministro Barroso

Edição: Denise Griesinger

Veja também:
Juiz federal absolve Temer em caso de conversa com Joesley
Reinaldo Azambuja sanciona lei que institui ações de resgate ao civismo nas escolas
Líder do PSL na Câmara afirma em áudio que vai 'implodir' Bolsonaro
"Não tem lado A ou lado B", diz Bolsonaro sobre situação do PSL
Bolsonaro não vê justa causa para sair do PSL, diz porta-voz
Governo e Fiesp firmam acordo para capacitação de detentos
Após dez dias internado, general Villas Bôas recebe alta hospitalar
Após rusgas, Doria baixa o tom com Bolsonaro: 'Amigo dos brasileiros'
"Indignado com tentativa de me envolver", diz Collor sobre operação
Congresso aprova crédito suplementar para Justiça Federal e MPU
Ex-superintendente da PF no RJ assume combate a crimes financeiros
Délia espera ministro na próxima semana e "com boas notícias para saúde"
Em Brasília, Reinaldo Azambuja participa do VII Fórum de Governadores
'Querem me derrubar? Tenho couro duro', diz Bolsonaro sobre laranjas
Órgãos têm até 48 horas para apurar vazamento no Nordeste
PSDB articula para emplacar o vice na chapa de Marcos Trad
Ministério Público apresenta denúncia por desvios do fundo eleitoral
Para Bolsonaro, Justiça não deve validar mensagens obtidas ilegalmente
Beto Pereira é condenado a devolver R$ 400 mil por contrato irregular quando era prefeito
Nelsinho nega compra de sentença, mas reconhece processos citados em documento sigiloso da Omertà
Reinaldo Azambuja inicia terceira etapa do Governo Presente e destaca importância de ouvir as prioridades
Bolsonaro: criminoso é quem deve temer a lei, não o cidadão
Ex-candidato ao Senado deixa PSDB e visa disputar prefeitura
Previdência: votação do segundo turno deve ficar para segunda quinzena
Reinaldo Azambuja sanciona lei que obriga empresas a informar identidade de prestador de serviço
STF retoma hoje análise de tese que pode anular sentenças da Lava Jato
Ayres Britto: "Hackers e fake news são um atentado à ideia de Justiça"
Em 2 anos, programa "Saúde mais perto de você" atendeu mais de 25 mil pessoas em Ponta Porã
CCJ do Senado aprova relatório da reforma da Previdência
Governador e primeira-dama recebem homenagem em espetáculo que marca os 10 anos do Tocando Em Frente
Alcolumbre: reforma da Previdência pode ter mais de 60 votos no Senado
Deputado Jamilson Name diz que teme pela saúde do pai de 80 anos na prisão
Senado acata sugestão popular que libera uso medicinal da cannabis
Não tenho pretensão, mas não vou fugir, diz Moka sobre candidatura à prefeitura
“Potencial facínora”, diz Gilmar Mendes sobre ex-PGR Rodrigo Janot
Governo prestigia posse dos novos reitores da UEMS
Augusto Aras toma posse na Procuradoria-Geral da República
Em sabatina, Aras defende MP independente e separação dos Poderes
Em discurso na ONU, Bolsonaro destaca riqueza da Amazônia
Vereadores votam projeto que cria medalha em homenagem a jornalista
Bolsonaro diz que vai apresentar ao mundo Brasil em construção
Governador afirma que denúncia contra seu filho é covardia
STF julga na quarta se anula mais uma condenação da Lava Jato
Mourão compara narcotráfico no país à guerrilha
Reforma da Previdência pode ser votada em 1º turno nesta terça-feira
Bolsonaro tem até 4 de outubro para vetar ou sancionar lei eleitoral
Governo vai pavimentar rodovia que liga Norte do MS ao Pantanal e Bonito
Delcídio diz que não terminou missão e quer ser governador
Em visita a Ponta Porã, André Puccinelli lança o advogado Luiz Renê como pré candidato a prefeito
Após sair do PL, Délia se filia ao PTB em ato neste sábado na Capital
Reinaldo Azambuja cumpre nova rodada de reuniões com prefeitos da região Norte
Governo do Estado assina R$ 119 milhões em obras para saneamento em 16 municípios de Mato Grosso do Sul
Mato Grosso do Sul recebe apoio para combate a incêndios
Alvo de buscas, líder de Bolsonaro no Senado deixa cargo à disposição
Governo Presente: inicia hoje atendimento aos prefeitos da região Norte
CCJ da Câmara aprova condução coercitiva de intimados por CPI
Alcides Martins assume PGR e anuncia retorno de membros da Lava Jato
Deputados votam hoje projeto do governo que pretende cassar aposentadoria
Senado faz última sessão de discussão da PEC da Previdência
Alcolumbre defende aprovação do PL do Fundo Partidário no Senado
Projeto que amplia posse de arma no campo é sancionado
Bolsonaro diz que sancionará projeto que amplia posse de arma no campo
Em 8 meses, deputados gastaram R$ 1,3 milhão em menu com vinho e camarões
Termina hoje prazo para apresentar emendas de mérito à Previdência
Bolsonaro fala sobre julgamento envolvendo autor de facada
Bolsonaro receberá alta à tarde e retorna a Brasília ainda hoje
Dinheiro Público: Deputado de MS diz que vai devolver dinheiro usado com bebida alcóolica
Três deputados de MS querem investigar Moro e Dallagnol
Bolsonaro continua com dieta cremosa, diz boletim médico
Izauri destaca apoio do Governo do Estado para a pavimentação e drenagem do Distrito Industrial de Navirai
Bolsonaro retira sonda nasogástrica e recomeça dieta líquida
Ministro Marcos Pontes é internado em Brasília
Governador veta proposta de alterar nome de policiais aposentados para veteranos
Augusto Aras participa de reunião de líderes do Senado
Projeto apoiado por Eduardo Bolsonaro 'libera' canabidiol
Senado terá semana de negociações para votar reforma da Previdência
Veja a repercussão da indicação de Augusto Aras para a PGR
Senado aguarda posição do governo para avançar com reforma tributária
Puccinelli faz passagem relâmpago pela Câmara
Advocacia do Senado emite parecer favorável a Eduardo Bolsonaro
Pesquisa Google
Pesquisa Google
Previsão do tempo
Publicidade
<
Copyright 2006 - 2019 JDCNotíciasMS. Todos os direitos reservados. Permitida a reprodução desde que citada a fonte.