Um site a serviço do Estado - Ano VII - Campo Grande - Mato Grosso do Sul
Canais: 
Busca rápida
Cadernos
CAPA
CLÍNICAS MÉDICAS
COMPRAS - PEDRO JUAN - PARAGUAY
ARTIGOS
SAIBA AONDE SABOREAR AS DELÍCIAS DA CAPITAL
POLÍTICA
CONSTRUÇÃO CIVIL NA CAPITAL
NOTÍCIAS/INTERNET/TEC
MUNDO
TELEFONES ÚTEIS
HISTÓRIA DA PIZZA
GUIA DO COMÉRCIO DE CAMPO GRANDE
BRASIL
NOTICIAS
POLICIA
FALE CONOSCO
MENSALÃO
ESPORTE NEWS
MOMENTO DE REFLEXÃO
SALMO 23 - 25
NOTA ZERO
NOTA 10
SAÚDE
GUIA DO COMÉRCIO DE CAMPO GRANDE
RIO DE JANEIRO
HOTELARIA
JUSTIÇA
ECONOMIA
HORA DO RISO/PIADAS
TRAGÉDIA
FISCALIZAÇÃO PMR
EDUCAÇÃO
OPERAÇÃO LAVA JATO
OPERAÇÃO NOTA ZERO
LAMA ASFÁLTICA
GAECO
SEGURANÇA PÚBLICA
POLÍCIA FEDERAL
OPERAÇÃO RIQUIXÁ
GGIFRON
JORNALISMO
HOMENAGEM
SANTOS
CORONAVÍRUS
Publicidade
Publicações
02/12/2019 12:59
Desvalorização da moeda se deve a fatores externos, diz Bolsonaro
Brasil

Agênia Brasil
Por Pedro Peduzzi - Repórter da Agência Brasil  Brasília

O presidente Jair Bolsonaro participa da abertura do 3º Fórum Nacional de Controle, no auditório do Tribunal de Contas da União (TCU), com o tema Integrando o Brasil para fazer bem
Crédito: Antonio Cruz/Agência Brasil

Trump disse que Brasil estaria forçando desvalorização do real

O presidente Jair Bolsonaro disse, hoje (2), não ver como retaliação ao Brasil a decisão do governo dos Estados Unidos de aumentar as tarifas para importação de aço e alumínio brasileiros. Segundo o presidente dos EUA, Donald Trump, Brasil e Argentina estariam forçando uma desvalorização de suas moedas, o que tem prejudicado os agricultores daquele país.

"Não vejo isso como retaliação”, disse Bolsonaro em entrevista à Rádio Itatiaia na manhã desta segunda-feira (2). Na avaliação do presidente, a correlação não procede porque a desvalorização das moedas locais são em consequência de fatores externos. “O mundo está conectado. A própria briga comercial entre Estados Unidos e China influenciam o dólar aqui, assim como coisas que acontecem no Chile, nas eleições na Argentina e no Uruguai. Tudo está conectado”, argumentou o presidente.

Bolsonaro disse que o assunto será conversado com o ministro da Economia, Paulo Guedes, ainda hoje. “Se for o caso, vou ligar para o Trump. A economia deles é dezenas de vezes maior do que a nossa”, disse.

A retomada das tarifas foi anunciada pelo presidente dos Estados Unidos (EUA) em sua conta no Twitter. Segundo ele, “Brasil e Argentina têm presidido uma desvalorização maciça de suas moedas, o que não é bom para os agricultores norte-americanos. Portanto, com efeito imediato, restaurarei as tarifas de todos os aços e alumínio enviados para os EUA a partir desses países”, disse Trump na rede social.

“As reservas também devem agir para que os países, dos quais existem muitos, não aproveitem mais nosso dólar forte, desvalorizando ainda mais suas moedas. Isso torna muito difícil para nossos fabricantes e agricultores exportar seus produtos de maneira justa”, acrescentou o presidente norte-americano.

Reformas

Bolsonaro reiterou que as reformas política e tributária terão seu formato final decidido no Congresso Nacional, e não pelo Executivo. “O povo pede muito uma reforma política. Não tenho poder para isso. Ela vai de acordo com o entendimento dos parlamentares”, disse, acrescentando que “uma simplificação tributária é muito bem-vinda. Não adianta mandar para lá [Congresso Nacional] o que é ideal, mas o que é possível de ser aprovado. Se os governos anteriores tivessem desburocratizado, desregulamentado e simplificado muita coisa, o Brasil estaria muito melhor do que está no momento”.

Imposto de renda

Bolsonaro comentou também da limitação que tem para cumprir sua promessa de campanha, de aumentar para R$ 5 mil a faixa de isenção para imposto de renda pessoa física. Segundo ele, esse é um exemplo das “diferenças entre o que queria fazer e o do que pode ser feito”.

“Gostaria de entregar meu governo tornando isento quem ganha até R$ 5 mil por mês. Estamos trabalhando para, este ano, chegarmos a R$ 2 mil. Espero cumprir [a promessa de] R$ 5mil até o final do mandato”.

Nas conversas com a equipe econômica, Bolsonaro disse que tem argumentado que o aumento da margem se justifica pelo fato de que quase todo imposto acaba retornando ao contribuinte, quando esse faz sua declaração. Portanto, segundo o presidente, esse aumento na margem acabaria por “poupar trabalho” para a própria Receita Federal.

“Tem reação por parte da equipe econômica ou da Receita, quando digo isso? Tem. Em parte forço um pouco a barra, mas não vou constranger a equipe econômica nem a Receita Federal. Acredito que meus argumentos sejam ouvidos por eles, apesar de eu não entender de economia”, completou.

Juros

Mais cedo, ao participar do evento onde a Caixa Econômica Federal apresentou as ações realizadas pelo banco em prol das pessoas com deficiência, Bolsonaro disse que a atuação do banco, no sentido de baixar juros, está influenciando positivamente os bancos privados a fazerem o mesmo.

“A Caixa, sem qualquer interferência por parte do presidente da República, está obrigando outros bancos a seguirem seu exemplo de administração, sob o risco de perder mais do que clientes, lucro. Ao tomar a decisão de diminuir taxas, ela ganha cada vez mais clientes, além de diminuir a inadimplência e, obviamente, aumentar o lucro”.

Edição: Fernando Fraga

Veja também:
Copacabana Palace fecha as portas temporariamente devido à pandemia
Covid-19: Brasil tem 553 mortes e 12 mil casos confirmados
PIB do Brasil deve cair 2% em 2020, diz Fitch; América Latina deve encolher 2,6%
Ipea estima que 59 milhões são elegíveis para auxílio de R$ 600
Coppe desenvolve ventiladores pulmonares para combate ao coronavírus
Caixa começa a pagar hoje saque-aniversário do FGTS
Prazo para saque imediato de até R$ 998 do FGTS acaba amanhã
Moraes suspende trecho de MP sobre pedidos de acesso à informação
Covid-19: Brasil tem 46 mortes e mais de 2 mil casos confirmados
MP terá compensação de salário de empregados com contrato suspenso
No Brasil, 25 pessoas morreram em decorrência do novo coronavírus
Primeira sessão remota do Senado passa no teste
Clientes do cinco maiores bancos podem pedir prorrogação de dívidas
Copom faz 2ª reunião do ano para definir taxa básica de juros
Saúde atualiza para 200 os casos de infectados por coronavírus no país
Coronavírus: parlamentares discutem possível suspensão de atividades
Bolsa dispara 14% após quinta-feira tensa; dólar passa de R$ 4,80
Casos confirmados de coronavírus no Brasil sobem para 52
Brasil tem 433 casos suspeitos de coronavírus em 23 estados
Governo prorroga GLO no Ceará por uma semana
Resultado da inscrição para Fies e P-Fies sai nesta quarta
Coronavírus: brasileiros deixam quarentena na Base Aérea de Anápolis
STF adia decisão sobre decreto que facilita cessões pela Petrobras
MEC divulga hoje resultado da segunda chamada do ProUni
Congresso mantém vetos de Bolsonaro em sessão conjunta
Prioridade é reformular programa habitacional, diz Rogério Marinho
Aviões com brasileiros vindos da China chegam a Anápolis (GO)
Novo coronavírus: 28 casos suspeitos foram descartados no Brasil
Apenas ministros titulares podem utilizar avião da FAB, diz Bolsonaro
"Governo terá apoio do Congresso", diz Alcolumbre sobre coronavírus
Onyx diz que fica no cargo e afirma que Santini é “página virada”
Bolsonaro anuncia R$ 892 milhões para cidades atingidas por chuvas
"Temos que fazer mais", diz Moro sobre combate à corrupção no país
Governo deve editar MP para contratar empregados aposentados do INSS
Bolsonaro descarta recriação do Ministério da Segurança Pública
Lei anticrime entra em vigor hoje
Bolsonaro coordena reunião ministerial no Palácio da Alvorada
Bolsonaro vai a culto e tira fotos na Praça dos Três Poderes
Toffoli equipara teto salarial de universidades federal e estadual
Bolsonaro diz que Toffoli tem o direito de adiar juiz de garantias
Governo lança novo portal de compras governamentais
Mourão diz que Brasil tem que ser solução, não problema
Por questões de segurança, Bolsonaro reavalia ida a Davos
Limite de juros para cheque especial começa a valer hoje
Contestada no Supremo, Lei de Abuso de Autoridade entra em vigor
Feriado de ano-novo foi menos violento nas rodovias federais
Virada em Copacabana reúne 2,9 milhões de pessoas, diz Riotur
Bancos funcionam hoje e fecham nesta terça-feira e no dia 1º
Bolsonaro pede que Congresso amplie posse e porte de armas
DPVAT será até 85,4% menor em 2020
Bolsonaro volta a surpreender turistas na Praça dos Três Poderes
Bolsonaro sanciona projeto anticrime aprovado pelo Congresso
Mesmo de repouso Bolsonaro recebe vice-presidente e ministro
Bancos abrem em horário especial amanhã
Indulto natalino terá capítulo especial para policiais, diz Bolsonaro
Congresso pode votar proposta de Orçamento na próxima semana
Em Brasília, Bolsonaro participa de comemoração do Dia do Marinheiro
Mourão se reúne com futuro embaixador argentino no Brasil
Senado aprova pacote anticrime
CCJ confirma aprovação de PL da prisão após condenação em 2ª instância
No Senado, CCJ aprova pacote anticrime e prisão em segunda instância
Novo partido de Bolsonaro é registrado em cartório
No Rio, Guedes diz que não há razão para pessimismo no país
Corregedor arquiva reclamação disciplinar contra Deltan Dallagnol
Aras destitui representante do MPF do conselho de direitos humanos
Bolsonaro comemora crescimento de 0,6% do PIB no trimestre
PF faz buscas em escritórios de advocacia em nova fase da Lava Jato
STF abre quarta sessão para julgar compartilhamento de dados
Câmara inicia na segunda-feira nova versão da Pauta Participativa
Bolsonaro reitera apoio a excludente de ilicitude em operações
Nenhum ministro fará parte do novo partido, diz Bolsonaro
Bolsonaro enviará hoje à Câmara projeto de excludente de ilicitude
Bolsonaro preside hoje reunião do Conselho de Governo
Senado pode concluir votação da PEC Paralela à Reforma da Previdência
Proclamação da República completa 130 anos
Bolsonaro sanciona com vetos Lei de Diretrizes Orçamentárias para 2020
STF retoma julgamento de prisão após condenação em segunda instância
Pesquisa Google
Pesquisa Google
Previsão do tempo
Publicidade
<
Copyright 2006 - 2019 JDCNotíciasMS. Todos os direitos reservados. Permitida a reprodução desde que citada a fonte.