Um site a serviço do Estado - Ano VII - Campo Grande - Mato Grosso do Sul
Canais: 
Busca rápida
Cadernos
CAPA
CLÍNICAS MÉDICAS
COMPRAS - PEDRO JUAN - PARAGUAY
ARTIGOS
SAIBA AONDE SABOREAR AS DELÍCIAS DA CAPITAL
POLÍTICA
CONSTRUÇÃO CIVIL NA CAPITAL
NOTÍCIAS/INTERNET/TEC
MUNDO
TELEFONES ÚTEIS
HISTÓRIA DA PIZZA
GUIA DO COMÉRCIO DE CAMPO GRANDE
BRASIL
NOTICIAS
POLICIA
FALE CONOSCO
MENSALÃO
ESPORTE NEWS
MOMENTO DE REFLEXÃO
SALMO 23 - 25
NOTA ZERO
NOTA 10
SAÚDE
GUIA DO COMÉRCIO DE CAMPO GRANDE
RIO DE JANEIRO
HOTELARIA
JUSTIÇA
ECONOMIA
HORA DO RISO/PIADAS
TRAGÉDIA
FISCALIZAÇÃO PMR
EDUCAÇÃO
OPERAÇÃO LAVA JATO
OPERAÇÃO NOTA ZERO
LAMA ASFÁLTICA
GAECO
SEGURANÇA PÚBLICA
POLÍCIA FEDERAL
OPERAÇÃO RIQUIXÁ
GGIFRON
JORNALISMO
HOMENAGEM
SANTOS
Publicidade
Publicações
10/12/2019 11:06
Leilão da MS-306 mostra confiança do capital privado no Estado, destaca Reinaldo Azambuja
Política

Portal do MS
Bruno Chaves

Campo Grande (MS) – Leiloada na semana passada por mais de R$ 605 milhões, a concessão da MS-306 é tratada como um divisor de águas na administração pública estadual. A rodovia é a primeira concessão do Governo de Mato Grosso do Sul e abre caminhos para a execução de projetos de Parcerias Público-Privadas (PPPs), avaliou o governador Reinaldo Azambuja.

Situada no Nordeste do Estado, a MS-306 possui 219,5 quilômetros de extensão e atende os municípios de Costa Rica, Chapadão do Sul e Cassilândia – região economicamente conhecida pela produção de açúcar, álcool, algodão, soja, milho, madeira e carne. Quem vai administrar o trecho por um período de 30 anos é o Consórcio Way-360, formado por cinco empresas.

Em entrevista à imprensa, o governador Reinaldo Azambuja falou dos benefícios da concessão e destacou que a entrega da rodovia à iniciativa privada revela a confiança dos investidores nas políticas de desenvolvimento do Estado. O Consórcio terá que investir R$ 1,7 bilhão na rodovia.

Confira abaixo a fala do governador sobre o leilão e a concessão da MS-306.

Governador fale um pouco sobre o processo de leilão da MS-306. Quais resultados nós temos?

Primeiro, um resultado extremamente positivo. Tivemos dois consórcios participando. Tivemos uma oferta de R$ 605 milhões, que é outorga. Dinheiro que entra para os cofres estaduais pelos próximos 30 anos. Isso mostra a credibilidade do projeto, que é bem concebido e organizado, com segurança jurídica. Mostra uma boa regulação e mostra bons investimentos para os próximos anos que vão dar condições de uma rodovia segura, que vai ter, através dessa concessão, 30 anos de investimentos e manutenção. Alivia para o Estado. A outorga vai ser parte para investimento e parte podendo ser revertida para equilíbrio da tarifa. Acho extremamente positivo. Foi elogiado por todos. Ficamos contentes porque é o primeiro de muitos outros que virão aí numa esteira de parcerias privadas, concessões e privatizações.

Desse valor, como vai funcionar o aporte do consórcio? Como esse recurso vai ser pago ao longo dos anos?

Recurso entra 19% à vista, na assinatura do contrato (em até 90 dias após o leilão). Isso dá R$ 115 milhões, que vão direto para o Fundersul para investimento. Do 2° ao 15° ano temos um percentual de 1,5% – que a concessionária paga nos anos subsequentes, que pode ser usado ou para investimento ou para equilíbrio da tarifa, que é o pedágio. E do 16° ao 30° ano 4% do valor da outorga. Então, ele é dividido ao longo dos 30 anos. A decisão de ser ou investimento ou equilíbrio tarifário é uma decisão do Estado. Mas acho que isso é o resultado extremamente positivo, que mostra principalmente a credibilidade do processo todo, principalmente a segurança jurídica, porque o investidor que faz uma oferta desse tamanho tendo que investir mais de R$ 1 bilhão nas obras acredita no projeto. Então, acho que isso foi extremamente relevante para Mato Grosso do Sul.

O que a população vai encontrar na MS-306 ao longo dos próximos anos de novidade e de melhoria?

Primeiro toda uma revitalização, inclusive da travessia urbana de Chapadão do Sul. Segurança na rodovia, conforto, praças de pedágio e praças que vão dar segurança ao usuário, aos carros e com carros de apoio (quando ocorre algum acidente). Segurança total, aos moldes das rodovias que são concessionadas. Você paga pedágio, mas você tem uma rodovia muito mais segura. E outra: alivia o Estado. Investimento será feito pelo privado. É vantajoso para todos os lados. Usuário terá uma rodovia muito melhor e o Estado aliviando, pois deixa de pagar investimentos, que talvez não teria pernas para fazer, na ordem de R$ 1 bilhão só nesses mais de 200 quilômetros. Acho que é um modelo positivo e que tem dado certo em muitos estados.

Tem outros projetos considerados pelo governo prioritários, que tenham um modelo parecido? Como a Sanesul e a MSGÁS? Como estão os andamentos? Inclui infovia digital?

MSGÁS: o BNDES vai entregar os estudos que vão nortear o Mato Grosso do Sul quanto as opções: fazer mais investimentos ou buscar um parceiro privado… Ou muitas vezes privatizar como é a tendência da Gaspetro, que é sócia da MSGÁS. Vamos aguardar o estudo e o BNDES que vai nos nortear sobre qual o melhor caminho.

Sanesul: muito bem concebido o projeto. Talvez um dos melhores projetos de saneamento hoje a nível do Brasil. Vamos esperar uma decisão, que é a reunião do conselho administrativo da Sanesul, para validar o projeto e dar os passos seguintes. Porque depois temos audiência pública e edital… Esse modelo não é concessão. É parceria público-privada. Nós vamos trazer um parceiro privado que vai investir perto de R$ 1 bilhão para levar saneamento aos 68 municípios num prazo de 10 anos, universalizando o serviço. Esses 68 municípios sob a concessão da Sanesul terão 100% de coleta e tratamento de esgotamento sanitário. Isso é qualidade de vida, melhoria para a população.

Infovias digitais: bem encaminhado. Também é parceria público-privada para nós levarmos fibra ótica para as 79 cidades de Mato Grosso do Sul. Significa que nós vamos ter uma internet rápida, com boa velocidade e com custo menor – disponibilizadas aos órgãos públicos todos, em praças públicas em algumas localidades e também podendo servir ao setor privado. Então, o projeto é inovador, moderno, que aumenta a velocidade da informação, diminui o custo para o usuário e vai dar condição de termos um estado digital. Acho que isso é relevante.

O Estado tem outros estudos relacionados às rodovias?

Temos estudos em nove rodovias estaduais. Estão sendo feitos. A gente não gera especulações porque alguns podem ser projetos que tenham viabilidade e outros talvez não. Então, assim que for apresentado estudo técnico, como no caso da MS-306, com certeza nós daremos andamento em outros projetos de concessão rodoviária. Acho que é modelo positivo para abreviar o tempo. Melhora qualidade da rodovia, melhora para usuário e você alivia pressão dos investimentos estaduais. Então, a gente modelando bem, aplicando bem os recursos como temos feito no Fundo Rodoviário e fazendo algumas concessões nós vamos melhorar muito o perfil e o modal rodoviário no MS.

Porque essa política tem ganhado força nos últimos tempos?

O Estado, aí também entra a União, não tem capacidade com recursos próprios de muitas vezes ter a velocidade do setor privado para o desenvolvimento. Então, muitas vezes concessionar abrevia o tempo. Antecipa investimento, melhora condição de tráfego das rodovias, dá mais segurança, com terceira pista, com pista dupla, e mais conforto ao usuário – aliviando dinheiro do governo, pois muitas vezes você não tem recursos com essa velocidade que o setor produtivo impõe. Concessão traz algo moderno. Você traz o privado, ele aplica recursos e cobra pedágio, mas investe em uma rodovia com melhores condições. Esse é o objetivo e é moderno. Trazer investidores privados que confiam no Estado, abreviando o tempo. Isso é extremamente positivo para a sociedade sul-mato-grossense.

Bruno Chaves, Subsecretaria de Comunicação (Subcom)

Foto: Edemir Rodrigues

Veja também:
Câmara aprova auxílio de R$ 600 a trabalhador informal
Bancada é favorável à isenção de pedágio durante pandemia
Maia fala em R$ 500 por mês para trabalhadores informais
Após pronunciamento, Lula sugere renúncia de Bolsonaro e insinua o impeachment
‘Errou na forma e conteúdo’, diz senadora Simone Tebet sobre discurso de Bolsonaro
Após polêmica, Bolsonaro nega problemas com China
Senadora Simone Tebet testa negativo para coronavírus
Com senadores infectados, semana será atípica em Brasília
Morre o ex-ministro Gustavo Bebianno
Reinaldo Azambuja destaca apoio político na viabilização do Estado e do pacote de obras de R$ 4,2 bilhões
Deputados realizam reunião extraordinária da CPI da Energisa nesta terça
Celulares podem passar a ser rastreados em investigação criminal
Sem definir apoio à reeleição de Marcos Trad, PSDB adia decisão
Direita quer reunir 3 mil em Campo Grande em ato pró-Bolsonaro e contra Congresso
Decisão tucana sobre apoio à reeleição do prefeito Marcos Trad sai em março
Em live, Bolsonaro pede serenidade e afirma que respeita os Poderes
Governo de MS decreta luto de 3 dias pela morte de Dirceu Lanzarini
Moro diz que situação no Ceará está sob controle
Comitê Internacional contra dengue debate ações em Ponta Porã
Bolsonaro autoriza envio das Forças Armadas para o Ceará
Aliados em 2018, DEM e PSDB defendem interesses próprios
Em carta, governadores pedem diálogo e convidam Bolsonaro para reunião
Encontro acontece nesta terça-feira na Câmara de Campo Grande
Mandetta vai organizar DEM em Campo Grande e não descarta candidatura a prefeito
Governo vai distribuir mais de 1 milhão de camisinhas no Carnaval de MS
Programa inovador de MS será replicado em outros estados, diz Toffoli
Nomeações de Braga Netto e Onyx Lorenzoni são publicadas no DO
Partidos começam a indicar nomes para comissão da reforma tributária
Bolsonaro anuncia trocas na Casa Civil e no Ministério da Cidadania
Moro volta a defender prisão após condenação em segunda instância
Ex-presidente da Cedae não responde a deputados na Alerj
Governo assina termo de compromisso ao Programa de Liberdade Econômica
Alcolumbre define esta semana relator sobre cassação de juíza Selma
Gleisi Hoffmann nega que PT autorizou alianças com PSDB e DEM
MDB escolhe Márcio Fernandes para disputar prefeitura de Campo Grande
Base Aérea de Anápolis está pronta para receber repatriados
Simone quer recurso de fundos públicos destinados à segurança na fronteira
Apenas ministros titulares podem utilizar avião da FAB, diz Bolsonaro
Bancada com 79% de verba pública, Santa Casa faz evento com pré-candidato a prefeito
Governador aprova medidas que fortalecem cursos de Medicina e pós-graduação da UEMS
Bolsonaro diz que país terá fábrica israelense que extrai água do ar
Após recesso, governador e prefeito abrem ano legislativo da Alems e Câmara
Partido de Bolsonaro tem 75% das assinaturas necessárias em MS
Vereador de Ponta Porã divulga balanço das ações em favor da população
Bolsonaro passa por vasectomia em hospital militar de Brasília
Bolsonaro vai sobrevoar áreas atingidas pelas chuvas em MG
Odilon recua e diz que em 2022 deve se candidatar ao governo
Atriz Regina Duarte aceita comandar Secretaria da Cultura
Brasil e Índia terão parceria para a produção animal
FCO inicia operações de 2020 e Conselho aprova R$ 185 milhões em empreendimentos para MS
PSD aposta em 7 frentes para reeleger Marquinhos e aumentar representatividade
Mourão diz que governo pode convocar militares e ceder ao INSS
Indústria chinesa inicia operação em outubro e vai gerar 300 empregos em Maracaju
Bolsonaro embarca hoje para visita oficial à Índia
Secretários de Segurança Pública pedem ministério exclusivo para área
Oito deputados estaduais podem disputar prefeituras em Campo Grande e Dourados
Reinaldo Azambuja participa da abertura do Showtec nesta quarta-feira
Sob boato de expulsão, Rose Modesto procura executiva do PSDB
Vereador paga R$ 15 mil de multa para se livrar de processo por funcionária fantasma
Reinaldo Azambuja estende prazo de regra previdenciária para PM e Bombeiros
Com Nota MS Premiada, Governo quer combater sonegação fiscal e não saber quanto o consumidor gasta
Bolsonaro diz que Congresso vai “sepultar” taxação de energia solar
Verão no parque e um evento da família fronteiriça diz prefeito de Ponta Porã
Implementar juiz de garantias é difícil, diz Bolsonaro
Bolsonaro chega a Brasília, onde passará o réveillon
Ministro anuncia que próximo grande desafio do governo é reforma tributáriaTV Brasil
Bancada federal de MS gasta R$ 15 milhões em dez meses
Presidente sanciona alteração na Lei Kandir
Bolsonaro sanciona, com vetos, Lei Geral de Informática
Bolsonaro vai a lotérica apostar na Mega da Virada
Presidente Jair Bolsonaro tem alta em Brasília
“O Brasil está sendo tirado da UTI”, diz general Augusto Heleno
Presidente critica vazamento de informações do Ministério Público
Empresários de MS já podem aderir ao novo Refis do Governo do Estado
Reforma tributária terá prioridade na Câmara em 2020, diz Rodrigo Maia
Vereadores priorizam projetos do Executivo para última sessão
Congresso vai criar comissão especial para discutir reforma tributária
Reinaldo Azambuja sanciona lei que cria “Nota MS Premiada”; programa fiscal dará prêmios ao consumidor
Quatro deputados votam por fundo de R$ 2 bilhões
Eduardo Bolsonaro é reconduzido à liderança do PSL na Câmara
Pesquisa Google
Pesquisa Google
Previsão do tempo
Publicidade
<
Copyright 2006 - 2019 JDCNotíciasMS. Todos os direitos reservados. Permitida a reprodução desde que citada a fonte.