Um site a serviço do Estado - Ano VII - Campo Grande - Mato Grosso do Sul
Canais: 
Busca rápida
Cadernos
CAPA
CLÍNICAS MÉDICAS
COMPRAS - PEDRO JUAN - PARAGUAY
ARTIGOS
SAIBA AONDE SABOREAR AS DELÍCIAS DA CAPITAL
POLÍTICA
CONSTRUÇÃO CIVIL NA CAPITAL
NOTÍCIAS/INTERNET/TEC
MUNDO
TELEFONES ÚTEIS
HISTÓRIA DA PIZZA
GUIA DO COMÉRCIO DE CAMPO GRANDE
BRASIL
NOTICIAS
POLICIA
FALE CONOSCO
MENSALÃO
ESPORTE NEWS
MOMENTO DE REFLEXÃO
SALMO 23 - 25
NOTA ZERO
NOTA 10
SAÚDE
GUIA DO COMÉRCIO DE CAMPO GRANDE
RIO DE JANEIRO
HOTELARIA
JUSTIÇA
ECONOMIA
HORA DO RISO/PIADAS
TRAGÉDIA
FISCALIZAÇÃO PMR
EDUCAÇÃO
OPERAÇÃO LAVA JATO
OPERAÇÃO NOTA ZERO
LAMA ASFÁLTICA
GAECO
SEGURANÇA PÚBLICA
POLÍCIA FEDERAL
OPERAÇÃO RIQUIXÁ
GGIFRON
JORNALISMO
HOMENAGEM
SANTOS
CORONAVÍRUS
Publicidade
Publicações
24/03/2020 20:54
Covid-19: Brasil tem 46 mortes e mais de 2 mil casos confirmados
Brasil

Agência Brasil
Por Jonas Valente – Repórter Agência Brasil - Brasília

Mulher com máscara de proteção em avenida de São Paulo
REUTERS/Rahel Patrasso/Direitos reservados

São Paulo registra maior número de óbitos, 40 no total
   
O número de mortes decorrentes do novo coronavírus (covid-19) chegou a 46, conforme atualização do Ministério da Saúde publicada hoje (24). Até ontem (23), o número de pessoas que vieram a óbito estava em 34. No domingo (22), era de 25, um aumento de quase 20 casos em apenas dois dias.

O total de casos confirmados saiu de 1.891 ontem para 2.201 hoje, um acréscimo proporcional de 16% e de 310 em números absolutos. O resultado de hoje marcou um aumento de 42% nos casos em relação a domingo, quando foram registradas 1.546 pessoas infectadas.

As mortes continuam restritas a São Paulo, com 40 óbitos, e Rio de Janeiro, com 6 falecimentos. A taxa de letalidade saiu de 1,8% ontem (23) para 2,1% hoje.

Como local de maior circulação do novo coronavírus no país, São Paulo também lidera o número de pessoas infectadas, com 810 casos confirmados. Em seguida vêm Rio de Janeiro (305), Ceará (182), Distrito Federal (160), Minas Gerais (130) e Santa Catarina (107).

Também registram casos confirmados Rio Grande do Sul (98), Bahia (76), Paraná (65), Amazonas (47), Pernambuco (42), Espírito Santo (33), Goiás (27), Mato Grosso do Sul (23), Acre (17), Sergipe (15), Rio Grande do Norte (13), Alagoas (nove), Maranhão (oito), Tocantins (sete), Mato Grosso (sete), Piauí (seis), Pará (cinco), Rondônia (três), Paraíba (três), Roraima (dois) e Amapá (um).

Ministério da Saúde divulgou balanço do coronavírus no país nesta terça-feira.

Veja na íntegra:

Testes

Os representantes do governo afirmaram que a intenção é chegar a 22, 9 milhões de testes. A estratégia de ampliação dos exames é a principal recomendação da Organização Mundial de Saúde (OMS). Ao total, o intuito é chegar a 14,9 milhões de testes de laboratório nos próximos três meses sendo: 3 milhões da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), 600 mil doados pela Petrobrás, 1,3 milhões ofertados por empresas privadas e outros 10 milhões que serão comprados. Essa modalidade será focada para pessoas infectadas internadas ou casos leves em unidades sentinela para monitorar a epidemia de coronavírus.

Já para os testes rápidos a promessa é viabilizar mais 8 milhões, sendo 3 milhões pela Fiocruz e 5 milhões doados pela Vale. Esse tipo de exame, explicaram os representantes do Ministério da Saúde, é para identificar a evolução da doença, e não para diagnóstico. Ele possui uma efetividade menor do que a alternativa de laboratório, uma vez que verifica a reação dos anticorpos ao vírus. Esse tipo terá a finalidade principalmente de monitorar os profissionais de segurança.  

A estratégia é priorizar as cidades com mais de 500 mil habitantes. Um novo protocolo para casos mais leves está sendo discutido pelo governo. Até o momento, foram distribuídos 32,5 mil kits. Na avaliação da pasta, para o momento de maior disseminação do novo coronavírus, que deve ocorrer no fim de abril, o Brasil terá de aumentar sua produção em quase cinco vezes.

“Hoje produzimos 6,7 mil testes por dia. Para enfrentar o pico da epidemia, temos que ter capacidade de produção de 30 a 50 mil por dia. Nós não temos essa escala ainda, e não temos isso agora. Vamos chegar nas próximas semanas [e tentar] aproximar o máximo possível desses valores”,  afirmou o secretário de Vigilância em Saúde da pasta, Wanderson de Oliveira.

Os representantes do ministério também falaram sobre a insuficiência de máscaras no país. Eles defenderam que o governo não terá condição de assegurar esse recurso para todos, e que deve haver uma priorização para os profissionais de saúde. Já quem apresenta sintomas e quer evitar o risco de infectar outros, alternativas podem ser adotadas, como máscaras de pano ou de outros materiais, que funcionam como barreiras físicas. Já os trabalhadores da saúde só podem utilizar equipamentos autorizados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Isolamento e distanciamento

O Ministério da Saúde também comentou as estratégias de isolamento e distanciamento social, promovida pela maioria dos governos estaduais. O isolamento é recomendado a quem apresentou sintomas e a moradores da mesma residência do paciente sintomático, bem como a idosos acima de 60 anos, pelo prazo de 14 dias. Uma vez terminado esse período, não haveria mais necessidade da medida, a não ser em casos de uma condição médica específica.

“Não faz sentido pedir que pessoa ao final de 14 dias tenha que ir à unidade de saúde. Não tem que fazer novo teste, uma nova consulta. A não ser que tenha condição de saúde que necessite de consulta clínica. Concluiu os 14 dias, vida que segue, vida normal”, declarou secretário de Vigilância em Saúde, Wanderson de Oliveira.

Já no caso das medidas adotadas por governadores de distanciamento social e determinação para que trabalhadores sejam dispensados do serviço e fiquem em casa, em geral com prazo até o início de abril, o secretário afirmou que “o difícil não é fechar, é abrir", se referindo a dúvida de quando será o momento certo para que brasileiros retomem a rotina, e quando escolas e comércio poderão voltar a funcionar normalmente. 

“Esse é o grande problema. O que vamos fazer a partir do 15º dia? Estados e municípios têm suas prerrogativas. A gente continua dando recomendações, mas estados e municípios têm liberdade para tomar medidas. Vamos continuar com as mesmas recomendações. Sintomáticos e família, isolamento domiciliar. Idoso, isolamento domiciliar. Com os testes rápidos, vamos ter outro elenco de pessoas. Serão recomendados a fazer isolamento domiciliar, quem testar positivo”, destacou o secretário executivo do Ministério da Saúde, João Gabbardo Reis.

*Texto alterado às 20h para acréscimo de informações. 

Edição: Liliane Farias

Veja também:
Covid-19: Brasil tem 553 mortes e 12 mil casos confirmados
PIB do Brasil deve cair 2% em 2020, diz Fitch; América Latina deve encolher 2,6%
Ipea estima que 59 milhões são elegíveis para auxílio de R$ 600
Coppe desenvolve ventiladores pulmonares para combate ao coronavírus
Caixa começa a pagar hoje saque-aniversário do FGTS
Prazo para saque imediato de até R$ 998 do FGTS acaba amanhã
Moraes suspende trecho de MP sobre pedidos de acesso à informação
MP terá compensação de salário de empregados com contrato suspenso
No Brasil, 25 pessoas morreram em decorrência do novo coronavírus
Primeira sessão remota do Senado passa no teste
Clientes do cinco maiores bancos podem pedir prorrogação de dívidas
Copom faz 2ª reunião do ano para definir taxa básica de juros
Saúde atualiza para 200 os casos de infectados por coronavírus no país
Coronavírus: parlamentares discutem possível suspensão de atividades
Bolsa dispara 14% após quinta-feira tensa; dólar passa de R$ 4,80
Casos confirmados de coronavírus no Brasil sobem para 52
Brasil tem 433 casos suspeitos de coronavírus em 23 estados
Governo prorroga GLO no Ceará por uma semana
Resultado da inscrição para Fies e P-Fies sai nesta quarta
Coronavírus: brasileiros deixam quarentena na Base Aérea de Anápolis
STF adia decisão sobre decreto que facilita cessões pela Petrobras
MEC divulga hoje resultado da segunda chamada do ProUni
Congresso mantém vetos de Bolsonaro em sessão conjunta
Prioridade é reformular programa habitacional, diz Rogério Marinho
Aviões com brasileiros vindos da China chegam a Anápolis (GO)
Novo coronavírus: 28 casos suspeitos foram descartados no Brasil
Apenas ministros titulares podem utilizar avião da FAB, diz Bolsonaro
"Governo terá apoio do Congresso", diz Alcolumbre sobre coronavírus
Onyx diz que fica no cargo e afirma que Santini é “página virada”
Bolsonaro anuncia R$ 892 milhões para cidades atingidas por chuvas
"Temos que fazer mais", diz Moro sobre combate à corrupção no país
Governo deve editar MP para contratar empregados aposentados do INSS
Bolsonaro descarta recriação do Ministério da Segurança Pública
Lei anticrime entra em vigor hoje
Bolsonaro coordena reunião ministerial no Palácio da Alvorada
Bolsonaro vai a culto e tira fotos na Praça dos Três Poderes
Toffoli equipara teto salarial de universidades federal e estadual
Bolsonaro diz que Toffoli tem o direito de adiar juiz de garantias
Governo lança novo portal de compras governamentais
Mourão diz que Brasil tem que ser solução, não problema
Por questões de segurança, Bolsonaro reavalia ida a Davos
Limite de juros para cheque especial começa a valer hoje
Contestada no Supremo, Lei de Abuso de Autoridade entra em vigor
Feriado de ano-novo foi menos violento nas rodovias federais
Virada em Copacabana reúne 2,9 milhões de pessoas, diz Riotur
Bancos funcionam hoje e fecham nesta terça-feira e no dia 1º
Bolsonaro pede que Congresso amplie posse e porte de armas
DPVAT será até 85,4% menor em 2020
Bolsonaro volta a surpreender turistas na Praça dos Três Poderes
Bolsonaro sanciona projeto anticrime aprovado pelo Congresso
Mesmo de repouso Bolsonaro recebe vice-presidente e ministro
Bancos abrem em horário especial amanhã
Indulto natalino terá capítulo especial para policiais, diz Bolsonaro
Congresso pode votar proposta de Orçamento na próxima semana
Em Brasília, Bolsonaro participa de comemoração do Dia do Marinheiro
Mourão se reúne com futuro embaixador argentino no Brasil
Senado aprova pacote anticrime
CCJ confirma aprovação de PL da prisão após condenação em 2ª instância
No Senado, CCJ aprova pacote anticrime e prisão em segunda instância
Novo partido de Bolsonaro é registrado em cartório
No Rio, Guedes diz que não há razão para pessimismo no país
Corregedor arquiva reclamação disciplinar contra Deltan Dallagnol
Aras destitui representante do MPF do conselho de direitos humanos
Bolsonaro comemora crescimento de 0,6% do PIB no trimestre
Desvalorização da moeda se deve a fatores externos, diz Bolsonaro
PF faz buscas em escritórios de advocacia em nova fase da Lava Jato
STF abre quarta sessão para julgar compartilhamento de dados
Câmara inicia na segunda-feira nova versão da Pauta Participativa
Bolsonaro reitera apoio a excludente de ilicitude em operações
Nenhum ministro fará parte do novo partido, diz Bolsonaro
Bolsonaro enviará hoje à Câmara projeto de excludente de ilicitude
Bolsonaro preside hoje reunião do Conselho de Governo
Senado pode concluir votação da PEC Paralela à Reforma da Previdência
Proclamação da República completa 130 anos
Bolsonaro sanciona com vetos Lei de Diretrizes Orçamentárias para 2020
STF retoma julgamento de prisão após condenação em segunda instância
Bolsonaro entrega ao Senado PECs do Pacto Federativo
Pesquisa Google
Pesquisa Google
Previsão do tempo
Publicidade
<
Copyright 2006 - 2019 JDCNotíciasMS. Todos os direitos reservados. Permitida a reprodução desde que citada a fonte.